Bomba de Calor de Alta Temperatura

Aquecimento Central 02/Mai/2023 2814
Bomba de Calor de Alta Temperatura

Nunca se falou tanto em Bombas de Calor de Alta Temperatura como nos dias de hoje. E porquê?

Até agora, sempre que alguém pretendia substituir a sua caldeira de gasóleo ou gás, por uma solução mais económica, regra geral, optava por pellets.

As caldeiras e estufas a pellets permitiam uma substituição quase literal das caldeiras a gás ou gasóleo: produziam água a uma temperatura idêntica, aproveitavam os radiadores e demais infraestruturas existentes e reduziam, para mais de metade os gastos mensais ou anuais. Como solução de substituição dos combustíveis fósseis, os pellets, reinaram durante os últimos anos.

No entanto, com o absurdo aumento do preço deste ano, os pellets perderam a sua principal vantagem e nesse aspeto, praticamente, colocaram-se ao nível dos custos do gás e do gasóleo.

É neste cenário, que começa a surgir, a vaga das Bombas de Calor de Alta Temperatura.

1ª questão: o que é uma Bomba de Calor de Alta Temperatura?

Regra geral, o conceito de Bomba de Calor, é associado a um equipamento frigorífico que produz água a baixa temperatura, digamos entre os 30º e os 40º, constituindo atualmente a opção mais eficiente para associar a soluções de pavimento radiante ou ventiloconvetores, tão comuns, nas novas construções. Ora, se fizéssemos chegar água a 30º ou 40º até aos radiadores lá de casa, eles, pura e simplesmente, não iriam produzir grande calor e consequentemente, não iríamos conseguir aquecer a nossa casa. É, então que surge o conceito da Bomba de Calor de Alta Temperatura, que não é mais que uma Bomba de Calor que consegue aquecer água até aos 70º ou mesmo 80º c, ou seja, a mesma capacidade que possuem as caldeiras de gás ou gasóleo.

2ª questão: quais as vantagens de trocar a minha caldeira de gás ou gasóleo, por uma Bomba de Calor de Alta Temperatura?

Para além de assegurarmos, no mínimo, igual eficácia à que tínhamos com a solução de gás ou gasóleo, passamos a desfrutar das vantagens da utilização da eletricidade como forma de energia: maior fiabilidade, ou seja, muito menor possibilidade de avarias ou desregulações, maior segurança, limpeza, etc. Nenhuma outra forma de energia supera a eletricidade.

3ª questão: Uma bomba de Calor de Alta Temperatura, é cara?

A resposta a esta pergunta é relativa, porque depende da capacidade económica de cada um. Mas, não querendo fugir a esta questão fundamental, diria que o investimento para a substituição da uma caldeira de gás ou gasóleo por uma Bomba de Calor de Alta Temperatura, numa habitação até, aproximadamente, 200m2, dificilmente será inferir a 10.000€, levando em linha de conta os complementos necessários, a montagem e os impostos.

4º questão: quanto vou poupar, se trocar a minha caldeira de gás ou gasóleo, ou até pellets aos preços deste ano, por uma Bomba de Calor de Alta Temperatura?

As Bombas de Calor de Alta Temperatura são eficientes, mas não tanto quanto as suas congéneres de baixa Temperatura, que como já vimos, são ideais para associar a Pavimento Radiante ou ventiloconvetores. Com as Bombas de Calor de Alta Temperatura, vai poupar na fatura energética, com certeza, mas, provavelmente, não mais do que 20 a 30% do que gasta atualmente com gás ou gasóleo.

5ª questão: que outros cuidados deverei observar na hora de montar uma Bomba de Calor de Alta Temperatura?

Primeiro, deve tentar associar-se com uma empresa competente já que a alteração poderá exigir necessidades técnicas, que só uma empresa experiente poderá assegurar de antemão. Por exemplo, tem de confirmar que possui um contrato de fornecimento de eletricidade com disponibilidade de potência suficiente para alimentar a Bomba de Calor de Alta Temperatura: em corrente monofásica, menos do que 30 A, inviabiliza a solução.

Em conclusão: será, então, que faz sentido, substituir a caldeira de gás ou gasóleo, por uma Bomba de Calor de Alta Temperatura?

Na minha opinião, se a questão do esforço de investimento não for condicionante, faz todo o sentido. Se nesta época de grande instabilidade e incerteza energéticas, alguma coisa é perfeitamente previsível, é que será a eletricidade a forma de energia do futuro. Podemos discutir a sua origem da produção, podendo ser hídrica, eólica, fotovoltaica, ou até mesmo nuclear. Mas, apostar em combustíveis fósseis, hoje, seria apostar no cavalo errado.